Procurar livros:
    Procurar
Procurar livro na nossa biblioteca
 
 
Procurar autor
   
Procura por autor
 
marcador
  • Sem marcador definido
Marcador
 
 
 
Navegar
> > > Página 64

Capítulo 12: Capítulo 12

Página 64

Enquanto a alegria reinava no acampamento troiano, eram os gregos presa do sobressalto e do terror. Os mais bravos eram os que mais desesperados estavam, por verem baldados os seus esforços. Agamémnon passeava de um lado para o outro, sem saber o que fazer. Por fim, chamou os arautos e ordenou-lhes que reunissem todos os chefes em conselho, mas que o ficassem cautelosamente para que disso não se apercebessem os outros guerreiros, Dentro de alguns instantes, todos os chefes lá se encontravam, cabisbaixos e tristes. Quando viu todos sentados, levantou-se Agamémnon e, com lágrimas nos olhos, disse-lhes:

— Amigos meus! Chefes e conselheiros dos gregos! Estou convencido de que o divino Júpiter nos arma uma terrível desgraça e nos tenta destruir. tinha-me prometido que regressaríamos vitoriosos à Grécia e que, antes disso, destruiríamos as fortes muralhas de Tróia. Mas, agora, parece comprazer-se com a nossa derrota. Portanto, não nos resta mais que fugir com os nossos navios e regressar desonrados à pátria, visto que jamais conquistemos Tróia.

Todos ficaram mudos ao ouvir tais palavras e em seus semblantes transparecia a consternação e a surpresa. O primeiro a falar foi Diomedes:

— Ó átrida, permite-me que me insurja contra essa tua insensata ideia e não te encolerizes. Houve um dia em que me insultaste perante todos, chamando-me fraco e cobarde, mas eles testemunharam agora a minha actuação na guerra. Júpiter te honrou, dando-te o ceptro e a chefia de todos os gregos. Mas uma coisa tu não possuis: firmeza de animo. Se pretendes voltar, parte, que os navios estão à tua espera e ninguém te impedirá a fuga.

Eu, porém, ficarei e não faltará quem me acompanhe. Estou disposto a bater-me até ao fim e Estenelo ficará comigo. Sim, não sairemos daqui sem a vitória, pois foi para isso que viemos e um deus nos guiou.

<< Página Anterior

pág. 64 (Capítulo 12)

Página Seguinte >>

anúncio
Capa do livro Ilíada
Páginas: 178
Página atual: 64

 
   
 
   
Os capítulos deste livro:
Capítulo 1 1
Capítulo 2 4
Capítulo 3 15
Capítulo 4 18
Capítulo 5 25
Capítulo 6 31
Capítulo 7 37
Capítulo 8 41
Capítulo 9 44
Capítulo 10 49
Capítulo 11 56
Capítulo 12 64
Capítulo 13 67
Capítulo 14 70
Capítulo 15 73
Capítulo 16 80
Capítulo 17 86
Capítulo 18 90
Capítulo 19 96
Capítulo 20 101
Capítulo 21 105
Capítulo 22 112
Capítulo 23 115
Capítulo 24 121
Capítulo 25 124
Capítulo 26 127
Capítulo 27 133
Capítulo 28 139
Capítulo 29 145
Capítulo 30 149
Capítulo 31 156
Capítulo 32 159
Capítulo 33 165
Capítulo 34 175
Links Relacionados
 
Artigos: Porque lemos literatura | O Ensaio na literatura | O primeiro texto da língua portuguesa 
© 2010 Ciberforma Informática. Todos os direitos reservados. Contacto | Política de privacidade | Mapa do Site