Procurar livros:
    Procurar
Procurar livro na nossa biblioteca
 
 
Procurar autor
   
Procura por autor
 
marcador
  • Sem marcador definido
Marcador
 
 
 
Navegar
> > > Página 37

Capítulo 7: Capítulo 7

Página 37

O funesto Marte, instigado por Apolo, desceu do Olimpo e começou a percorrer as fileiras dos troianos, incitando-os com as seguintes palavras:

— Ó filhos de Príamo, até quando deixareis que as vossas tropas sejam desbaratadas pelo inimigo? Eneias, o mais bravo guerreiro depois de Heitor, foi posto fora de combate. Não fazeis nada para o vingar?

Ouvindo isto, Sarpedão, chefe dos lícios, disse a Heitor:

— Que é feito da tua valentia de outrora? Disseste um dia que sozinho conseguirias defender a cidade. Onde estão os teus irmãos e cunhados? Parece que fugiram todos e que só nós, que aqui estamos apenas como aliados, é que combatemos. Será que tens medo de ficar prisioneiro dos galegos?

Heitor sentiu-se ferido no seu amor próprio e, saltando do carro, percorreu o campo em todas as direcções, estimulando os guerreiros com novo ardor As suas palavras surtiram efeito, pois os troianos atiraram-se ao inimigo em hostes cerradas.

Para ajudar os troianos, o terrível Marte escureceu o campo de batalha com as trevas da noite e em toda a parte animava os troianos, aproveitando-se da ausência de Minerva, a deusa protectora dos gregos. Enquanto isso, Apolo foi até à cidade e de lá trouxe o valoroso Eneias. O que veio dar novo alento aos seus camaradas que se sentiram encorajados com a presença de destemido guerreiro.

Perceberam os gregos que os troianos atacavam com maior denodo, mas esmoreceram. Agamémnon exortava-os a que se portassem como homens.

<< Página Anterior

pág. 37 (Capítulo 7)

Página Seguinte >>

anúncio
Capa do livro Ilíada
Páginas: 178
Página atual: 37

 
   
 
   
Os capítulos deste livro:
Capítulo 1 1
Capítulo 2 4
Capítulo 3 15
Capítulo 4 18
Capítulo 5 25
Capítulo 6 31
Capítulo 7 37
Capítulo 8 41
Capítulo 9 44
Capítulo 10 49
Capítulo 11 56
Capítulo 12 64
Capítulo 13 67
Capítulo 14 70
Capítulo 15 73
Capítulo 16 80
Capítulo 17 86
Capítulo 18 90
Capítulo 19 96
Capítulo 20 101
Capítulo 21 105
Capítulo 22 112
Capítulo 23 115
Capítulo 24 121
Capítulo 25 124
Capítulo 26 127
Capítulo 27 133
Capítulo 28 139
Capítulo 29 145
Capítulo 30 149
Capítulo 31 156
Capítulo 32 159
Capítulo 33 165
Capítulo 34 175
Links Relacionados
 
Artigos: Porque lemos literatura | O Ensaio na literatura | O primeiro texto da língua portuguesa 
© 2010 Ciberforma Informática. Todos os direitos reservados. Contacto | Política de privacidade | Mapa do Site