Procurar livros:
    Procurar
Procurar livro na nossa biblioteca
 
 
Procurar autor
   
Procura por autor
 
marcador
  • Sem marcador definido
Marcador
 
 
 
Navegar
> > > Página 128

Capítulo 26: Capítulo 26

Página 128

Sentou-se depois de ter falado e os gregos, através de gritos de aprovação as suas palavras, demonstraram a alegria que sentiam pelo seu regresso à luta. Quando por fim o tumulto cessou, Agamémnon, sem sair do seu lugar, disse:

— Meus amigos e prezados guerreiros — afirmou ele —, por várias vezes me culpastes por ter brigado com Aquiles e por tudo o que essa briga nos causou, mas as coisas sucederam por vontade dos deuses e eu não tenho culpa. Os deuses dão aos mortais aquilo que desejam. Se agi insensatamente, também os deuses, às vezes, o fazem. No entanto, apesar de não merecer a culpa, retratar-me-ei perante ti, Aquiles. Enviarei imediatamente para os teus barcos as oferendas que, através de Ulisses, te prometi há dois dias atrás.

— Manda-me os presentes ou não, como queiras, pois isso não me interessa agora. Não é hora de tratarmos de frivolidades. Há algo importante que preciso realizar imediatamente. Portanto, ordena aos gregos que se armem para partirmos para a batalha.

Agamémnon revelou na fisionomia que não lhe agradara o pouco respeito com que Aquiles recebera a sua oh erra; mas Ulisses ergueu-se logo a seguir e, sorrindo, disse:

— Aquiles, tem mais um pouco de paciência. Não queres, com certeza, que os gregos partam já para a luta. Deixa-nos retomar o animo e coragem, comendo e bebendo bem. Aquele que está bem alimentado luta sempre melhor. E, enquanto a nossa refeição está a ser preparada, deixa que o nosso chefe Agamémnon te traga os presentes que te prometeu, para que todos os vejam. Recebe de boa vontade esses presentes e aceita a homenagem de Agamémnon, para que o fim da discórdia seja presenciado por todos.

<< Página Anterior

pág. 128 (Capítulo 26)

Página Seguinte >>

anúncio
Capa do livro Ilíada
Páginas: 178
Página atual: 128

 
   
 
   
Os capítulos deste livro:
Capítulo 1 1
Capítulo 2 4
Capítulo 3 15
Capítulo 4 18
Capítulo 5 25
Capítulo 6 31
Capítulo 7 37
Capítulo 8 41
Capítulo 9 44
Capítulo 10 49
Capítulo 11 56
Capítulo 12 64
Capítulo 13 67
Capítulo 14 70
Capítulo 15 73
Capítulo 16 80
Capítulo 17 86
Capítulo 18 90
Capítulo 19 96
Capítulo 20 101
Capítulo 21 105
Capítulo 22 112
Capítulo 23 115
Capítulo 24 121
Capítulo 25 124
Capítulo 26 127
Capítulo 27 133
Capítulo 28 139
Capítulo 29 145
Capítulo 30 149
Capítulo 31 156
Capítulo 32 159
Capítulo 33 165
Capítulo 34 175
Links Relacionados
 
Artigos: Porque lemos literatura | O Ensaio na literatura | O primeiro texto da língua portuguesa 
© 2010 Ciberforma Informática. Todos os direitos reservados. Contacto | Política de privacidade | Mapa do Site