Procurar livros:
    Procurar
Procurar livro na nossa biblioteca
 
 
Procurar autor
   
Procura por autor
 
marcador
  • Sem marcador definido
Marcador
 
 
 
Navegar
> > > Página 134

Capítulo 27: Capítulo 27

Página 134

Eneias respondeu:

— Porque me incitas a defrontar-me com aquele terrível guerreiro? Bem sabes que não seria essa a primeira vez que eu desafiaria Aquiles. Já uma vez, quando ele destruiu a cidade de Lirnesso, escapei de tombar às suas mãos. Júpiter livrou-me do perigo, ajudando-me a fugir. Não, não posso enfrentar Aquiles, pois ele anda sempre protegido por um deus que dele afasta a morte e lhe prepara o caminho da vitória. Mas se ao meu lado também estivesse um dos imortais, não lhe seria tão fácil vencer-me, embora ele se gabe de ser o melhor de todos os guerreiros.

Apolo, continuando disfarçado, retrucou-lhe:

— Ora, Eneias, se Aquiles é filho de uma deusa, tu também o és. Pelo que dizem, a tua mãe foi Vénus, a filha de Júpiter. Portanto, a tua linhagem é superior à dele. Tétis não é mais do que uma filha do oceano. Avança contra ele e não temas as suas injúrias e ameaças.

Com essas palavras, Apolo incutiu coragem no espírito de Eneias que, sem hesitar, avançou para as primeiras fileiras. Juno avistou-o correndo na direcção de Aquiles e reuniu os deuses para deliberar:

— Neptuno e Minerva — disse ela —, vede bem o que pode acontecer. Eneias, instigado por Apolo, avança contra Aquiles. É preciso que um de nós o obrigue a retroceder, ou que vá então imediatamente para junto de Aquiles, levar-lhe forças e palavras de conforto. Que ele saiba que é amado pelos melhores dos deuses e que os protectores dos troianos pouco valem.

— Não vos preocupeis com isso — disse Neptuno. —Nós somos os mais fortes e não devemos fazer provocações. Fiquemos por perto a observar o que se passa. Se, porém, Apolo ou Marte se meterem e procurarem atrapalhar Aquiles, nós entraremos em luta e obrigá-los-emos a refugiarem-se no Olimpo.

<< Página Anterior

pág. 134 (Capítulo 27)

Página Seguinte >>

anúncio
Capa do livro Ilíada
Páginas: 178
Página atual: 134

 
   
 
   
Os capítulos deste livro:
Capítulo 1 1
Capítulo 2 4
Capítulo 3 15
Capítulo 4 18
Capítulo 5 25
Capítulo 6 31
Capítulo 7 37
Capítulo 8 41
Capítulo 9 44
Capítulo 10 49
Capítulo 11 56
Capítulo 12 64
Capítulo 13 67
Capítulo 14 70
Capítulo 15 73
Capítulo 16 80
Capítulo 17 86
Capítulo 18 90
Capítulo 19 96
Capítulo 20 101
Capítulo 21 105
Capítulo 22 112
Capítulo 23 115
Capítulo 24 121
Capítulo 25 124
Capítulo 26 127
Capítulo 27 133
Capítulo 28 139
Capítulo 29 145
Capítulo 30 149
Capítulo 31 156
Capítulo 32 159
Capítulo 33 165
Capítulo 34 175
Links Relacionados
 
Artigos: Porque lemos literatura | O Ensaio na literatura | O primeiro texto da língua portuguesa 
© 2010 Ciberforma Informática. Todos os direitos reservados. Contacto | Política de privacidade | Mapa do Site