Procurar livros:
    Procurar
Procurar livro na nossa biblioteca
 
 
Procurar autor
   
Procura por autor
 
marcador
  • Sem marcador definido
Marcador
 
 
 
Navegar

Capítulo 25: Capítulo XXIV

Página 251
Capítulo XXIV

«A costa do Patusan (visitei-a quase dois anos depois) estende-se direita e sombria e orla um oceano nevoento. Vêem-se trilhos vermelhos, semelhantes a cataratas de ferrugem, serpentear sob a folhagem verde-escura dos arbustos e das plantas trepadeiras que revestem as falésias baixas. Nas embocaduras dos rios abrem-se planícies pantanosas donde se entrevêem picos denteados, azuis na distância, para além das vastas florestas. Ao largo levanta-se uma cadeia de ilhotas, cujas formas, negras e friáveis, se destacam na eterna bruma luminosa como ruínas de uma muralha fendida pelo mar.

«Há uma aldeia de pescadores na embocadura do Batu Kring, mesmo no estuário. O rio, durante tanto tempo fechado à navegação, estava agora aberto, e a pequena escuna de Stein que me transportava subiu a corrente com a ajuda de três marés sem se expor aos tiros dos 'partidos irresponsáveis'. Esse estado de coisas pertencia já ao passado, segundo me dizia o velho chefe da aldeia, que subiu a bordo para servir de piloto. Falou-me (a mim, o segundo homem branco que via) com confiança e falou-me principalmente do primeiro branco que vira. Chamava-lhe Tuan Jim, e o tom em que o fez era curioso pela mistura de familiaridade e de terror. Aquela aldeia estava sob a protecção especial daquele senhor, o que mostrava não ser Jim rancoroso. Não se enganara ao dizer-me que me haviam de dar notícias suas. Ali estava eu a ouvi-las. Corria já uma história de a maré se ter adiantado duas horas para encurtar a sua viagem pelo rio cima. O velho falador fora quem estivera ao leme da canoa que o transportava e ainda hoje aquele fenómeno o espantava. Para mais, a sua família participara do acontecimento glorioso. O seu filho e o seu genro iam aos remos; mas eram muito jovens e inexperientes, e se não fosse ele nem tinham dado pela velocidade fantástica que a canoa tomara.

<< Página Anterior

pág. 251 (Capítulo 25)

Página Seguinte >>

anúncio
Capa do livro Lord Jim
Páginas: 434
Página atual: 251

 
   
 
   
Os capítulos deste livro:
Nota do Autor 1
Capítulo I 4
Capitulo II 12
Capítulo III 19
Capítulo IV 30
Capítulo V 37
Capítulo VI 60
Capítulo VII 82
Capítulo VIII 95
Capítulo IX 107
Capítulo X 119
Capítulo XI 135
Capítulo XII 141
Capítulo XIII 151
Capítulo XIV 164
Capítulo XV 179
Capítulo XVI 184
Capítulo XVII 191
Capítulo XVIII 195
Capitulo XIX 205
Capítulo XX 212
Capítulo XXI 226
Capítulo XXII 235
Capítulo XXIII 242
Capítulo XXIV 251
Capítulo XXV 258
Capítulo XXVI 268
Capítulo XXVII 275
Capítulo XXVIII 283
Capítulo XXIX 292
Capítulo XXX 299
Capítulo XXXI 306
Capítulo XXXII 315
Capítulo XXXIII 322
Capítulo XXXIV 333
Capítulo XXXV 343
Capítulo XXXVI 350
Capítulo XXXVII 357
Capítulo XXXVIII 366
Capítulo XXXIX 376
Capítulo XL 385
Capítulo XLI 395
Capítulo XLII 402
Capítulo XLIII 410
Capítulo XLIV 418
Capítulo XLV 424
Links Relacionados
 
Artigos: Porque lemos literatura | O Ensaio na literatura | O primeiro texto da língua portuguesa 
© 2010 Ciberforma Informática. Todos os direitos reservados. Contacto | Política de privacidade | Mapa do Site