Procurar livros:
    Procurar
Procurar livro na nossa biblioteca
 
 
Procurar autor
   
Procura por autor
 
marcador
  • Sem marcador definido
Marcador
 
 
 
Navegar

Capítulo 11: Capítulo X

Página 119
Capítulo X

Entrelaçou os dedos e depois separou-os. Era a verdade exacta: ele atirara-se, com efeito, para um buraco eterno e profundo. Tombara de uma vez que nunca mais voltaria a atingir. O salva-vidas tinha já ultrapassado a proa do barco. Com a escuridão, não se podiam ver uns aos outros, para mais estavam cegos e meio alagados pela chuva Era como se fossem arrastados por uma cheia através de uma caverna. Voltavam as costas à tempestade; o capitão pôs um remo sobre a popa para manter o salva-vidas na direcção do vento e durante três minutos fora o fim do mundo com - dilúvio e a escuridão de breu. O mar silvava 'como vinte mil panelas'.

«’A imagem é sua, não minha. Suponho que não devia ter havido muito então depois da primeira rajada; e ele próprio admitiu durante o inquérito que o mar naquela noite nunca estivera excessivamente agitado. Agachara-se à proa e lançara um olhar furtivo para trás. Viu apenas o brilho amarelo na luz no topo do mastro, muito alta e indistinta como uma estrela que ai desaparecer. 'Apossou-se de mim um terror quando vi aquilo ainda ali'. Foi isto exactamente o que ele disse. O que o encheu de terror, porém, fora a ideia de que o afundamento ainda não se dera. Sem dúvida queria ver-se livre dessa abominação o mais depressa possível. Ninguém fazia o mínimo ruído, no salva-vidas. No escuro este parecia voar, mas é claro que não podia ter avançado muito. Depois o aguaceiro passou-lhes à frente e o vento forte, de enlouquecer, seguiu a chuva e morreu na distância. O silêncio era completo, apenas se ouvia o fraco embate do mar contra o salva-vidas. Um dos homens batia os dentes violentamente. Uma mão tocou-lhe costas e uma voz apagada disse: 'Você aí?' Outra gritou, trémula: 'Afundou-se!', e levantaram-se todos para olhar na direcção da ré.

<< Página Anterior

pág. 119 (Capítulo 11)

Página Seguinte >>

anúncio
Capa do livro Lord Jim
Páginas: 434
Página atual: 119

 
   
 
   
Os capítulos deste livro:
Nota do Autor 1
Capítulo I 4
Capitulo II 12
Capítulo III 19
Capítulo IV 30
Capítulo V 37
Capítulo VI 60
Capítulo VII 82
Capítulo VIII 95
Capítulo IX 107
Capítulo X 119
Capítulo XI 135
Capítulo XII 141
Capítulo XIII 151
Capítulo XIV 164
Capítulo XV 179
Capítulo XVI 184
Capítulo XVII 191
Capítulo XVIII 195
Capitulo XIX 205
Capítulo XX 212
Capítulo XXI 226
Capítulo XXII 235
Capítulo XXIII 242
Capítulo XXIV 251
Capítulo XXV 258
Capítulo XXVI 268
Capítulo XXVII 275
Capítulo XXVIII 283
Capítulo XXIX 292
Capítulo XXX 299
Capítulo XXXI 306
Capítulo XXXII 315
Capítulo XXXIII 322
Capítulo XXXIV 333
Capítulo XXXV 343
Capítulo XXXVI 350
Capítulo XXXVII 357
Capítulo XXXVIII 366
Capítulo XXXIX 376
Capítulo XL 385
Capítulo XLI 395
Capítulo XLII 402
Capítulo XLIII 410
Capítulo XLIV 418
Capítulo XLV 424
Links Relacionados
 
Artigos: Porque lemos literatura | O Ensaio na literatura | O primeiro texto da língua portuguesa 
© 2010 Ciberforma Informática. Todos os direitos reservados. Contacto | Política de privacidade | Mapa do Site