Procurar livros:
    Procurar
Procurar livro na nossa biblioteca
 
 
Procurar autor
   
Procura por autor
 
marcador
  • Sem marcador definido
Marcador
 
 
 
Navegar

Capítulo 44: Capítulo XLIII

Página 410
Capítulo XLIII

«Tamb' Itam, colocado atrás da cadeira do amo, sentiu-se como que fulminado. Esta declaração produziu uma sensação enorme. 'Deixem-nos partir porque, a meu ver, esta é a melhor solução, e eu nunca vos enganei', insistia Jim. Fez-se silêncio. Do pátio, mergulhado na escuridão, chegavam até eles os murmúrios abafados e o arrastar dos pés da multidão. Doramin levantou a pesada cabeça para dizer que era tão difícil ler no coração dos homens como tocar no céu com a mão, dava o seu consentimento. Os outros deram a sua opinião cada um por sua vez. Diziam: 'É melhor', 'Deixem-nos partir', etc. Mas a maior parte deles limitaram-se a dizer que 'confiavam em Tuan Jim'.

«É nesta simples forma de assentimento à sua vontade que reside o ponto principal da questão: a fé deles, a sinceridade de Jim e a homenagem à sua lealdade era o que o tornava, aos seus próprios olhos, par dos homens impecáveis que nunca tinham abandonado as fileiras. As palavras de Stein - 'É um romântico! É um romântico!' - pareciam ressoar naquelas regiões distantes que não mais o devolverão a um mundo indiferente ao seu fracasso e aos seus méritos, nem àquela ardente e possessiva afeição que, no assombro de uma grande dor e da separação eterna, lhe recusava até a esmola das lágrimas. Desde o momento em que a pura lealdade dos três últimos anos da sua vida alcança a vitória sobre a ignorância, o medo e a cólera dos homens, Jim já não me aparece como o vi pela última vez, um ponto branco a absorver toda a luz fusca derramada sobre uma costa sombria e um mar enegrecido, mas maior e mais digno de piedade na solidão da sua alma, que permanece, mesmo para a jovem que o amava tanto, um cruel e insolúvel mistério.

«É evidente que Jim não desconfiava de Brown; não havia razão para duvidar de uma história cuja verdade parecia atestada por uma rude franqueza, por uma espécie de sinceridade viril na aceitação da moralidade e das consequências dos seus actos.

<< Página Anterior

pág. 410 (Capítulo 44)

Página Seguinte >>

anúncio
Capa do livro Lord Jim
Páginas: 434
Página atual: 410

 
   
 
   
Os capítulos deste livro:
Nota do Autor 1
Capítulo I 4
Capitulo II 12
Capítulo III 19
Capítulo IV 30
Capítulo V 37
Capítulo VI 60
Capítulo VII 82
Capítulo VIII 95
Capítulo IX 107
Capítulo X 119
Capítulo XI 135
Capítulo XII 141
Capítulo XIII 151
Capítulo XIV 164
Capítulo XV 179
Capítulo XVI 184
Capítulo XVII 191
Capítulo XVIII 195
Capitulo XIX 205
Capítulo XX 212
Capítulo XXI 226
Capítulo XXII 235
Capítulo XXIII 242
Capítulo XXIV 251
Capítulo XXV 258
Capítulo XXVI 268
Capítulo XXVII 275
Capítulo XXVIII 283
Capítulo XXIX 292
Capítulo XXX 299
Capítulo XXXI 306
Capítulo XXXII 315
Capítulo XXXIII 322
Capítulo XXXIV 333
Capítulo XXXV 343
Capítulo XXXVI 350
Capítulo XXXVII 357
Capítulo XXXVIII 366
Capítulo XXXIX 376
Capítulo XL 385
Capítulo XLI 395
Capítulo XLII 402
Capítulo XLIII 410
Capítulo XLIV 418
Capítulo XLV 424
Links Relacionados
 
Artigos: Porque lemos literatura | O Ensaio na literatura | O primeiro texto da língua portuguesa 
© 2010 Ciberforma Informática. Todos os direitos reservados. Contacto | Política de privacidade | Mapa do Site