Procurar livros:
    Procurar
Procurar livro na nossa biblioteca
 
 
Procurar autor
   
Procura por autor
 
marcador
  • Sem marcador definido
Marcador
 
 
 
Navegar

Capítulo 6: Capítulo V

Página 37
Capítulo V

«Oh, sim. Assisti ao inquérito», dizia ele, «e até hoje ainda estou admirado de lá ter ido. Sinto-me inclinado a acreditar em que cada um de nós tem um anjo da guarda, se os meus amigos quiserem admitir que todos temos também um demónio pessoal. Quero que o admitam, porque não gosto de me sentir uma excepção em coisa nenhuma, e sei que o tenho - o Demónio, está claro. É verdade que nunca o vi, mas ando à procura de uma evidência circunstancial. Ele existe com certeza, e, malicioso e mal intencionado como é, deixa-me cair no logro destas aventuras. Que aventuras?, perguntar-me-ão. Então, esta do inquérito, o caso do cão amarelo - nunca pensariam que a um tinhoso de um cão nativo seria permitido andar a pisar as pessoas na varanda de um tribunal, pois não? É género de coisas que, por caminhos tortuosos, inesperados, verdadeiramente diabólicos, me obrigam a correr ao encontro de homens marcados por fraquezas, de homens marcados pela dureza, de homens marcados por males secretos, por Deus!, e lhes desata a língua assim que me vêem para me fazerem as suas infernais confidências; como se eu, ora vejam lá, não tivesse confidências a fazer a mim próprio, como se eu - assim Deus me ajude - não tivesse bastantes informações confidenciais a meu respeito para atormentar a minha alma até ao fim dos meus dias. E ainda gostava de saber que teria eu feito para me darem esta preferência! Confesso que estou tão cheio de preocupações pessoais como qualquer outro e que a minha memória é igual à média da dos peregrinos deste vale de lágrimas. Por aqui já vêem que não sou especialmente competente para receber confissões. Então porque é que isso me sucede? Não faço ideia, a menos que seja para ajudar a passar o tempo depois do jantar.

<< Página Anterior

pág. 37 (Capítulo 6)

Página Seguinte >>

anúncio
Capa do livro Lord Jim
Páginas: 434
Página atual: 37

 
   
 
   
Os capítulos deste livro:
Nota do Autor 1
Capítulo I 4
Capitulo II 12
Capítulo III 19
Capítulo IV 30
Capítulo V 37
Capítulo VI 60
Capítulo VII 82
Capítulo VIII 95
Capítulo IX 107
Capítulo X 119
Capítulo XI 135
Capítulo XII 141
Capítulo XIII 151
Capítulo XIV 164
Capítulo XV 179
Capítulo XVI 184
Capítulo XVII 191
Capítulo XVIII 195
Capitulo XIX 205
Capítulo XX 212
Capítulo XXI 226
Capítulo XXII 235
Capítulo XXIII 242
Capítulo XXIV 251
Capítulo XXV 258
Capítulo XXVI 268
Capítulo XXVII 275
Capítulo XXVIII 283
Capítulo XXIX 292
Capítulo XXX 299
Capítulo XXXI 306
Capítulo XXXII 315
Capítulo XXXIII 322
Capítulo XXXIV 333
Capítulo XXXV 343
Capítulo XXXVI 350
Capítulo XXXVII 357
Capítulo XXXVIII 366
Capítulo XXXIX 376
Capítulo XL 385
Capítulo XLI 395
Capítulo XLII 402
Capítulo XLIII 410
Capítulo XLIV 418
Capítulo XLV 424
Links Relacionados
 
Artigos: Porque lemos literatura | O Ensaio na literatura | O primeiro texto da língua portuguesa 
© 2010 Ciberforma Informática. Todos os direitos reservados. Contacto | Política de privacidade | Mapa do Site