Procurar livros:
    Procurar
Procurar livro na nossa biblioteca
 
 
Procurar autor
   
Procura por autor
 
marcador
  • Sem marcador definido
Marcador
 
 
 
Navegar

Capítulo 3: Capitulo II

Página 12
Capitulo II

Após um treino de dois anos, embarcou, e ao entrar nas regiões que a sua imaginação tão bem conhecia achou-as estranhamente pobres de aventuras. Fez muitas viagens. Conheceu a mágica monotonia de uma existência passada entre o céu e o mar: teve de suportar as censuras dos homens, as exigências do mar e o rigor prosaico do trabalho diário que dá o pão mas cuja única recompensa se encontra no amor total pelo que se faz. Esta recompensa esquivava-se. Contudo, não podia voltar atrás, porque não há nada mais aliciante, nem mais deceptivo, nem mais escravizado r, do que a vida no mar. Além disso, as suas perspectivas de futuro eram boas. Era pessoa de educação, calmo, afável, e tinha um perfeito conhecimento dos seus deveres; e no seu devido tempo, embora ainda fosse muito novo, foi nomeado para o posto de imediato de um belo navio, sem nunca ter passado por aqueles acontecimentos que na vida marítima expõem à luz do dia o autêntico valor de um homem, a qualidade da sua têmpera e a fibra do seu carácter; que revelam o seu grau de resistência e a verdade secreta das suas veleidades, não só aos olhos dos outros, mas aos seus próprios.

Apenas uma única vez durante todo este tempo ele teve ocasião de voltar a entrever a gravidade da fúria do mar. Esta não transparece tão facilmente como muita gente julga. Há muitas graduações nos perigos, nas aventuras e nas tempestades, e só de quando em quando se pode ver claramente nos factos a violência sinistra das intenções - aquele indefinido não sei quê que imprime no espírito e no coração de um homem a noção de que este enredamento dos acidentes ou de que estes furores dos elementos vêm ao seu encontro com um propósito maligno, com uma força impossível de controlar,

<< Página Anterior

pág. 12 (Capítulo 3)

Página Seguinte >>

anúncio
Capa do livro Lord Jim
Páginas: 434
Página atual: 12

 
   
 
   
Os capítulos deste livro:
Nota do Autor 1
Capítulo I 4
Capitulo II 12
Capítulo III 19
Capítulo IV 30
Capítulo V 37
Capítulo VI 60
Capítulo VII 82
Capítulo VIII 95
Capítulo IX 107
Capítulo X 119
Capítulo XI 135
Capítulo XII 141
Capítulo XIII 151
Capítulo XIV 164
Capítulo XV 179
Capítulo XVI 184
Capítulo XVII 191
Capítulo XVIII 195
Capitulo XIX 205
Capítulo XX 212
Capítulo XXI 226
Capítulo XXII 235
Capítulo XXIII 242
Capítulo XXIV 251
Capítulo XXV 258
Capítulo XXVI 268
Capítulo XXVII 275
Capítulo XXVIII 283
Capítulo XXIX 292
Capítulo XXX 299
Capítulo XXXI 306
Capítulo XXXII 315
Capítulo XXXIII 322
Capítulo XXXIV 333
Capítulo XXXV 343
Capítulo XXXVI 350
Capítulo XXXVII 357
Capítulo XXXVIII 366
Capítulo XXXIX 376
Capítulo XL 385
Capítulo XLI 395
Capítulo XLII 402
Capítulo XLIII 410
Capítulo XLIV 418
Capítulo XLV 424
Links Relacionados
 
Artigos: Porque lemos literatura | O Ensaio na literatura | O primeiro texto da língua portuguesa 
© 2010 Ciberforma Informática. Todos os direitos reservados. Contacto | Política de privacidade | Mapa do Site