Procurar livros:
    Procurar
Procurar livro na nossa biblioteca
 
 
Procurar autor
   
Procura por autor
 
marcador
  • Sem marcador definido
Marcador
 
 
 
Navegar

Capítulo 23: Capítulo XXII

Página 235
Capítulo XXII

«O poder que confere a conquista do amor, da honra, da confiança dos homens, e o orgulho que suscita, são elementos válidos para uma narrativa heróica: mas o nosso espírito deixa-se impressionar pelo aspecto exterior desses êxitos, e no caso de Jim o aspecto exterior estava oculto. Trinta milhas de florestas o separavam da vista de um mundo indiferente, e o ruído da ressaca que cobria a costa de espuma branca abafava a voz da fama. A corrente da civilização chegada a um promontório a cem milhas ao norte de Patusan bifurcava-se para este e para sudoeste, deixando isoladas e ao deus dará as planícies e os vales, as velhas árvores e a velha humanidade que nela existiam como uma ilhota insignificante que se tivesse desagregado entre duas poderosas correntes de um rio imenso e devorador. Encontra-se muitas vezes, porém, o nome de Patusan mencionado em livros antigos de viagens. Os comerciantes do século dezassete iam lá muito buscar pimenta, porque a paixão da pimenta parecia arder nos peitos dos aventureiros holandeses e ingleses em tempos de Jaime I com a força de uma chama de amor. Onde não teriam eles ido buscar a pimenta! Estavam prontos a cortar o pescoço uns aos outros, por um saco de pimenta, sem hesitar, e igualmente dispostos a perder a alma, de que cuidavam tanto, por outro lado: este desejo bizarro e pertinaz levava-os a desafiar a morte de mil maneiras; a enfrentarem os mares desconhecidos, as doenças estranhas e horríveis; os ferimentos, o cativeiro, a fome, a peste e o desespero. E tudo isto engrandecia; eram heróicos e patéticos na sua sede de negociar, com morte inflexível a lançar o seu tributo sobre os velhos e os jovens. Parece impossível que apenas o apetite do lucro tenha dado àqueles

<< Página Anterior

pág. 235 (Capítulo 23)

Página Seguinte >>

anúncio
Capa do livro Lord Jim
Páginas: 434
Página atual: 235

 
   
 
   
Os capítulos deste livro:
Nota do Autor 1
Capítulo I 4
Capitulo II 12
Capítulo III 19
Capítulo IV 30
Capítulo V 37
Capítulo VI 60
Capítulo VII 82
Capítulo VIII 95
Capítulo IX 107
Capítulo X 119
Capítulo XI 135
Capítulo XII 141
Capítulo XIII 151
Capítulo XIV 164
Capítulo XV 179
Capítulo XVI 184
Capítulo XVII 191
Capítulo XVIII 195
Capitulo XIX 205
Capítulo XX 212
Capítulo XXI 226
Capítulo XXII 235
Capítulo XXIII 242
Capítulo XXIV 251
Capítulo XXV 258
Capítulo XXVI 268
Capítulo XXVII 275
Capítulo XXVIII 283
Capítulo XXIX 292
Capítulo XXX 299
Capítulo XXXI 306
Capítulo XXXII 315
Capítulo XXXIII 322
Capítulo XXXIV 333
Capítulo XXXV 343
Capítulo XXXVI 350
Capítulo XXXVII 357
Capítulo XXXVIII 366
Capítulo XXXIX 376
Capítulo XL 385
Capítulo XLI 395
Capítulo XLII 402
Capítulo XLIII 410
Capítulo XLIV 418
Capítulo XLV 424
Links Relacionados
 
Artigos: Porque lemos literatura | O Ensaio na literatura | O primeiro texto da língua portuguesa 
© 2010 Ciberforma Informática. Todos os direitos reservados. Contacto | Política de privacidade | Mapa do Site