Procurar livros:
    Procurar
Procurar livro na nossa biblioteca
 
 
Procurar autor
   
Procura por autor
 
marcador
  • Sem marcador definido
Marcador
 
 
 
Navegar

Capítulo 30: Capítulo XXIX

Página 292
Capítulo XXIX

«Era esta a explicação dos passeios que o casal dava à noite. Acompanhei-os mais de uma vez e desagradava-me saber que Cornélio nos rondava por se sentir amargamente lesado na sua paternidade legal, com aquele esgar peculiar da boca, como se estivesse eternamente a ponto de ranger os dentes. Mas já notaram como a trezentas milhas para lá dos fios telegráficos ou das linhas postais as abstractas mentiras utilitárias da nossa civilização definham e morrem e são substituídas por meros exercícios de imaginação que têm a futilidade, muitas vezes o encanto e por vezes a verdade secreta e profunda de obras de arte? O romance fizera de Jim um dos seus heróis, e isto era a única parte verdadeira da história, pois o resto não passava de mentiras. Ele não escondia a sua jóia, orgulhava-se muito dela.

«Vem-me agora à ideia que, afinal de contas, a vi muito poucas vezes. Do que me lembro é da palidez uniforme e do azeitonado da tez e da intensidade dos reflexos negro-azulados dos seus cabelos, que saíam abundantes de debaixo de uma pequena boina vermelha que ela usava posta bastante para trás da cabeça bem modelada. Os seus movimentos eram livres, seguros, e quando corava as faces adquiriam um rosado escuro. Enquanto eu conversava com Jim, ela entrava e saía, com olhares furtivos para nós, e, ao passar, deixava uma impressão de graça e de encanto e uma sugestão nítida de vigilância. As suas maneiras ofereciam uma curiosa combinação de timidez e de audácia. Cada doce sorriso dava gradualmente lugar a um ar de ansiedade silenciosa e contida como se tivesse sido expulso pela recordação de perigos constantes. Por vezes, ela sentava-se a nosso lado e, com a face lisa encovada pelos nós dos dedos da mão pequenina, punha-se a ouvir a nossa conversa; os olhos grandes e claros permaneciam fitos nos nossos lábios, como se cada palavra proferida tivesse uma forma visível.

<< Página Anterior

pág. 292 (Capítulo 30)

Página Seguinte >>

anúncio
Capa do livro Lord Jim
Páginas: 434
Página atual: 292

 
   
 
   
Os capítulos deste livro:
Nota do Autor 1
Capítulo I 4
Capitulo II 12
Capítulo III 19
Capítulo IV 30
Capítulo V 37
Capítulo VI 60
Capítulo VII 82
Capítulo VIII 95
Capítulo IX 107
Capítulo X 119
Capítulo XI 135
Capítulo XII 141
Capítulo XIII 151
Capítulo XIV 164
Capítulo XV 179
Capítulo XVI 184
Capítulo XVII 191
Capítulo XVIII 195
Capitulo XIX 205
Capítulo XX 212
Capítulo XXI 226
Capítulo XXII 235
Capítulo XXIII 242
Capítulo XXIV 251
Capítulo XXV 258
Capítulo XXVI 268
Capítulo XXVII 275
Capítulo XXVIII 283
Capítulo XXIX 292
Capítulo XXX 299
Capítulo XXXI 306
Capítulo XXXII 315
Capítulo XXXIII 322
Capítulo XXXIV 333
Capítulo XXXV 343
Capítulo XXXVI 350
Capítulo XXXVII 357
Capítulo XXXVIII 366
Capítulo XXXIX 376
Capítulo XL 385
Capítulo XLI 395
Capítulo XLII 402
Capítulo XLIII 410
Capítulo XLIV 418
Capítulo XLV 424
Links Relacionados
 
Artigos: Porque lemos literatura | O Ensaio na literatura | O primeiro texto da língua portuguesa 
© 2010 Ciberforma Informática. Todos os direitos reservados. Contacto | Política de privacidade | Mapa do Site