Procurar livros:
    Procurar
Procurar livro na nossa biblioteca
 
 
Procurar autor
   
Procura por autor
 
marcador
  • Sem marcador definido
Marcador
 
 
 
Navegar

Capítulo 13: Capítulo XII

Página 141
Capítulo XII

«Tudo à nossa volta estava silencioso. Nem um único som chegava aos nossos ouvidos. A neblina que envolvia os seus sentimentos agitava-se entre nós, como que perturbada pelas suas lutas, e pelas fendas desse véu imaterial ele aparecia aos meus olhos atentos como uma figura simbólica num quadro, uma forma que se salienta carregada de um atractivo indefinido. O ar fresco da noite parecia ter pousado nos meus membros tão pesado como uma pedra de mármore.

«'Compreendo', murmurei, mais para provar a mim mesmo que podia quebrar o meu estado de torpor que por outra razão qualquer.

«'O Avondale recolheu-nos muito pouco antes do pôr do Sol’, exclamou mal-humorado. 'Navegou em linha recta ao nosso encontro. Só tivemos de esperar.'

«Depois de um longo intervalo, ele disse: 'Contaram a história deles.' E seguiu-se mais uma vez aquele silêncio opressivo. 'Foi só então que compreendi perfeitamente o que tinha decidido', acrescentou.

«'Você não disse nada?', murmurei.

«'Que podia eu dizer?', perguntou ele no mesmo tom baixo... 'Um choque ligeiro. Parou-se o barco. Determinou-se a avaria Tomaram-se medidas para preparar os salva-vidas sem criar pânico. Quando o primeiro estava ser arriado, o barco afundou-se no meio da tempestade súbita. Mergulhou como um pedaço de chumbo... Que podia haver de mais claro?' - deixou pender a cabeça - 'e de mais horrível?' Os lábios tremiam-lhe enquanto me olhava de frente nos olhos. 'Eu saltara - não saltara?', perguntou desalentado. 'E tinha de viver, sabendo-o. A história não importava.'... Uniu as mãos um instante, olhou para a direita e para a esquerda no escuro: 'Era como burlar os mortos', gaguejou.

«'E não havia monos', disse eu.

«Mal disse estas palavras, vi-o longe de mim.

<< Página Anterior

pág. 141 (Capítulo 13)

Página Seguinte >>

anúncio
Capa do livro Lord Jim
Páginas: 434
Página atual: 141

 
   
 
   
Os capítulos deste livro:
Nota do Autor 1
Capítulo I 4
Capitulo II 12
Capítulo III 19
Capítulo IV 30
Capítulo V 37
Capítulo VI 60
Capítulo VII 82
Capítulo VIII 95
Capítulo IX 107
Capítulo X 119
Capítulo XI 135
Capítulo XII 141
Capítulo XIII 151
Capítulo XIV 164
Capítulo XV 179
Capítulo XVI 184
Capítulo XVII 191
Capítulo XVIII 195
Capitulo XIX 205
Capítulo XX 212
Capítulo XXI 226
Capítulo XXII 235
Capítulo XXIII 242
Capítulo XXIV 251
Capítulo XXV 258
Capítulo XXVI 268
Capítulo XXVII 275
Capítulo XXVIII 283
Capítulo XXIX 292
Capítulo XXX 299
Capítulo XXXI 306
Capítulo XXXII 315
Capítulo XXXIII 322
Capítulo XXXIV 333
Capítulo XXXV 343
Capítulo XXXVI 350
Capítulo XXXVII 357
Capítulo XXXVIII 366
Capítulo XXXIX 376
Capítulo XL 385
Capítulo XLI 395
Capítulo XLII 402
Capítulo XLIII 410
Capítulo XLIV 418
Capítulo XLV 424
Links Relacionados
 
Artigos: Porque lemos literatura | O Ensaio na literatura | O primeiro texto da língua portuguesa 
© 2010 Ciberforma Informática. Todos os direitos reservados. Contacto | Política de privacidade | Mapa do Site