Procurar livros:
    Procurar
Procurar livro na nossa biblioteca
 
 
Procurar autor
   
Procura por autor
 
marcador
  • Sem marcador definido
Marcador
 
 
 
Navegar

Capítulo 17: Capítulo XVI

Página 184
Capítulo XVI

«Tempo viria em que ele ia ser amado, seguido, admirado, em que se havia de formar uma lenda de força e de bravura à volta do seu nome, como se ele tivesse o estofo de um herói. Posso garantir-lhes que é verdade, tão certo como eu estar aqui, a falar-lhes dele. Ele, pelo seu lado, tinha a faculdade de reconhecer num ápice os traços do seu desejo e a forma dos seus sonhos, sem a qual o mundo não conheceria nem amantes nem aventureiros. Conquistou honra e uma felicidade arcádia, na selva (sem falar de uma certa inocência), tão importante como a honra e a felicidade arcádia no meio dos homens. A felicidade, a felicidade - como dizê-lo? -, pode beber-se numa taça de ouro, em todas as latitudes: o gosto que ela tem está em nós, só em nós, e podemos torná-la inebriante com a intensidade que desejarmos. Ele pertencia àquela categoria de homens que a bebem até ao fim, como se pode ver pelo que aconteceu antes. Encontrei-o, se não exactamente inebriado, pelo menos excitado pelo elixir que provava. Não obtivera de repente essa felicidade. Houvera como sabem, um período de provação, o emprego nas casas daqueles infernais fornecedores de navios, durante o qual ele sofrera e eu me atormentara por causa - por causa da confiança que nele depositara, se assim quiserem. Não sei se estou completamente tranquilo a respeito dele mesmo depois de o ter visto em todo o seu esplendor, pois foi assim que vi pela última vez, exemplar, dominador, e contudo em perfeito acordo com o que o rodeava - com a vida da floresta e com a vida dos homens. Confesso que esse espectáculo me impressionou, mas no fim de contas não é essa a última impressão que guardo dele. Na selva ele estava protegido pelo seu isolamento, único da sua raça, em contacto íntimo com a natureza, tão fiel àqueles que a amam.

<< Página Anterior

pág. 184 (Capítulo 17)

Página Seguinte >>

anúncio
Capa do livro Lord Jim
Páginas: 434
Página atual: 184

 
   
 
   
Os capítulos deste livro:
Nota do Autor 1
Capítulo I 4
Capitulo II 12
Capítulo III 19
Capítulo IV 30
Capítulo V 37
Capítulo VI 60
Capítulo VII 82
Capítulo VIII 95
Capítulo IX 107
Capítulo X 119
Capítulo XI 135
Capítulo XII 141
Capítulo XIII 151
Capítulo XIV 164
Capítulo XV 179
Capítulo XVI 184
Capítulo XVII 191
Capítulo XVIII 195
Capitulo XIX 205
Capítulo XX 212
Capítulo XXI 226
Capítulo XXII 235
Capítulo XXIII 242
Capítulo XXIV 251
Capítulo XXV 258
Capítulo XXVI 268
Capítulo XXVII 275
Capítulo XXVIII 283
Capítulo XXIX 292
Capítulo XXX 299
Capítulo XXXI 306
Capítulo XXXII 315
Capítulo XXXIII 322
Capítulo XXXIV 333
Capítulo XXXV 343
Capítulo XXXVI 350
Capítulo XXXVII 357
Capítulo XXXVIII 366
Capítulo XXXIX 376
Capítulo XL 385
Capítulo XLI 395
Capítulo XLII 402
Capítulo XLIII 410
Capítulo XLIV 418
Capítulo XLV 424
Links Relacionados
 
Artigos: Porque lemos literatura | O Ensaio na literatura | O primeiro texto da língua portuguesa 
© 2010 Ciberforma Informática. Todos os direitos reservados. Contacto | Política de privacidade | Mapa do Site