Procurar livros:
    Procurar
Procurar livro na nossa biblioteca
 
 
Procurar autor
   
Procura por autor
 
marcador
  • Sem marcador definido
Marcador
 
 
 
Navegar

Capítulo 31: Capítulo XXX

Página 299
Capítulo XXX

«Disse-me depois que não sabia o que o tinha levado a ficar, mas não é difícil adivinhar, claro. Simpatizara profundamente com a rapariga indefesa, à mercê daquele 'patife vil e cobarde'. Parece que Cornélio lhe fazia a vida negra e só por falta de coragem, creio, é que não chegava a maltratá-la. Insistia em que ela lhe chamasse pai - 'e com respeito, com respeito', gritava-lhe - e brandia um pequeno punho amarelo diante da cara dela. Sou um homem respeitável, e tu o que és? Julgas que vou criar a filha de outro homem sem exigir respeito? Devias sentir-te feliz por to permitir que me trates assim. Vamos lá, diz: «Sim, pai... » Não?... Espera um pouco.' Depois começava a injuriar a defunta mulher, até que a jovem fugia a correr com as mãos na cabeça. Ele perseguiu-a dentro, fora e à volta da casa, corria por entre as cabanas e acabava por a encurralar num canto, onde ela caía de joelhos com as mãos nos ouvidos; então ele postava-se a uma certa distância e proferia injúrias ignóbeis nas costas dela durante meia hora sem parar. 'A tua mãe era o Diabo, era uma mentirosa e tu também és o Diabo', agarrava num punhado de terra seca ou de lama (havia muita lama à roda da casa) e atirava-lhe aos cabelos. Às vezes, porém, ela continha-se por mero desprezo e ficava silenciosa diante dele, com o rosto sombrio e contraído, e só de vez em quando proferia uma ou duas palavras como ferroadas, que o faziam saltar e estremecer. Jim disse-me que estas cenas eram terríveis. Na verdade, era uma coisa estranha e inesperada nesta região selvagem. O prolongamento de uma tal situação subtilmente cruel era espantoso, quando se pensa bem nisso. O respeitável Cornélio (Inchi Nelyus, como lhe chamavam os Malaios, com uma careta que queria dizer muita coisa) era um homem que tinha muitas razões para estar desapontado.

<< Página Anterior

pág. 299 (Capítulo 31)

Página Seguinte >>

anúncio
Capa do livro Lord Jim
Páginas: 434
Página atual: 299

 
   
 
   
Os capítulos deste livro:
Nota do Autor 1
Capítulo I 4
Capitulo II 12
Capítulo III 19
Capítulo IV 30
Capítulo V 37
Capítulo VI 60
Capítulo VII 82
Capítulo VIII 95
Capítulo IX 107
Capítulo X 119
Capítulo XI 135
Capítulo XII 141
Capítulo XIII 151
Capítulo XIV 164
Capítulo XV 179
Capítulo XVI 184
Capítulo XVII 191
Capítulo XVIII 195
Capitulo XIX 205
Capítulo XX 212
Capítulo XXI 226
Capítulo XXII 235
Capítulo XXIII 242
Capítulo XXIV 251
Capítulo XXV 258
Capítulo XXVI 268
Capítulo XXVII 275
Capítulo XXVIII 283
Capítulo XXIX 292
Capítulo XXX 299
Capítulo XXXI 306
Capítulo XXXII 315
Capítulo XXXIII 322
Capítulo XXXIV 333
Capítulo XXXV 343
Capítulo XXXVI 350
Capítulo XXXVII 357
Capítulo XXXVIII 366
Capítulo XXXIX 376
Capítulo XL 385
Capítulo XLI 395
Capítulo XLII 402
Capítulo XLIII 410
Capítulo XLIV 418
Capítulo XLV 424
Links Relacionados
 
Artigos: Porque lemos literatura | O Ensaio na literatura | O primeiro texto da língua portuguesa 
© 2010 Ciberforma Informática. Todos os direitos reservados. Contacto | Política de privacidade | Mapa do Site