Procurar livros:
    Procurar
Procurar livro na nossa biblioteca
 
 
Procurar autor
   
Procura por autor
 
marcador
  • Sem marcador definido
Marcador
 
 
 
Navegar

Capítulo 14: Capítulo XIII

Página 163
'Ah!, aqui está.' Encontrara o chapéu. Ficámos parados alguns segundos no vento. 'Que vai fazer depois do... depois do... ', perguntei muito baixo. 'Vou para o diabo que me carregue, com certeza', respondeu com um resmungo ríspido. Eu recobrara a minha calma, em certa medida e julguei que era melhor não levar as coisas muito a sério. 'Peço-lhe que se lembre', disse eu 'de que gostaria muito de o voltar a ver antes de se ir embora.' 'Não sei o que o impedirá de me ver. Não vou com certeza tornar-me invisível', disse com uma intensa amargura; 'não terei essa sorte.' E então, no momento de despedida, fez diante de mim uma tremenda exibição de movimentos confusos, hesitante, irresoluto, a gaguejar. Deus lhe perdoe! Tinha metido na cabeça - sempre a imaginação! que eu teria constrangimento em lhe apertar a mão. Era tão horrível que não sabia o que dizer. Creio que lhe dei um berro de repente, como se o tivesse visto a andar à beira de um precipício; recordo que levantámos a voz que no seu rosto apareceu um pobre sorriso que era mais um arreganho, a minha mão foi agarrada com desespero e ele foi tomado de um riso nervoso. A vela apagou-se e tudo acabou, com um gemido que tremulou no ar e chegou aos meus ouvidos no escuro. Partiu não sei como. A noite tragou o seu vulto Ele era horrivelmente inábil. Horrivelmente inábil. Ouvi o ranger das suas botas sobre o cascalho. Corria. Corria positivamente, sem ter para onde ir. E não tinha ainda vinte e quatro anos»

<< Página Anterior

pág. 163 (Capítulo 14)

Página Seguinte >>

anúncio
Capa do livro Lord Jim
Páginas: 434
Página atual: 163

 
   
 
   
Os capítulos deste livro:
Nota do Autor 1
Capítulo I 4
Capitulo II 12
Capítulo III 19
Capítulo IV 30
Capítulo V 37
Capítulo VI 60
Capítulo VII 82
Capítulo VIII 95
Capítulo IX 107
Capítulo X 119
Capítulo XI 135
Capítulo XII 141
Capítulo XIII 151
Capítulo XIV 164
Capítulo XV 179
Capítulo XVI 184
Capítulo XVII 191
Capítulo XVIII 195
Capitulo XIX 205
Capítulo XX 212
Capítulo XXI 226
Capítulo XXII 235
Capítulo XXIII 242
Capítulo XXIV 251
Capítulo XXV 258
Capítulo XXVI 268
Capítulo XXVII 275
Capítulo XXVIII 283
Capítulo XXIX 292
Capítulo XXX 299
Capítulo XXXI 306
Capítulo XXXII 315
Capítulo XXXIII 322
Capítulo XXXIV 333
Capítulo XXXV 343
Capítulo XXXVI 350
Capítulo XXXVII 357
Capítulo XXXVIII 366
Capítulo XXXIX 376
Capítulo XL 385
Capítulo XLI 395
Capítulo XLII 402
Capítulo XLIII 410
Capítulo XLIV 418
Capítulo XLV 424
Links Relacionados
 
Artigos: Porque lemos literatura | O Ensaio na literatura | O primeiro texto da língua portuguesa 
© 2010 Ciberforma Informática. Todos os direitos reservados. Contacto | Política de privacidade | Mapa do Site