Procurar livros:
    Procurar
Procurar livro na nossa biblioteca
 
 
Procurar autor
   
Procura por autor
 
marcador
  • Sem marcador definido
Marcador
 
 
 
Navegar

Capítulo 16: Capítulo XV

Página 180
É isso! Retirar-se, ficar sozinho com a sua solidão. Caminhava ao meu lado muito calmo, a olhar para aqui e para ali, e voltou uma vez a cabeça para observar um bombeiro. Sidiboy com um casaco de abas compridas e calças amarelas, cujo rosto negro brilhava, sedoso, como um bocado de antracite. No entanto, duvido que ele tivesse visto alguma coisa, ou que estivesse consciente da minha companhia, porque, se eu o não tivesse empurrado aqui para a direita, ou puxado acolá para a esquerda, creio que teria continuado a caminhar em frente, numa direcção qualquer, até esbarrar com uma parede ou outro obstáculo. Conduzi-o para o meu quarto e sentei-me para escrever cartas, imediatamente. Este era o único sítio na Terra (fora, talvez, o recife de Walpole - de acesso, no entanto, mais difícil) onde se podia explicar consigo mesmo sem ser incomodado pelo resto do universo. Aquele maldito caso - como ele dissera - não o tornara invisível, mas eu comportei-me exactamente como se assim tivesse acontecido. Logo que me sentei, inclinei-me sobre a minha secretária, como um copista medieval, e, salvo o movimento da mão, permaneci ansiosamente quieto. Não posso dizer que estivesse assustado, mas fiquei parado como se no quarto alguma coisa de perigoso me saltasse em cima ao primeiro esboço de movimento que fizesse. Não havia ali muita coisa - sabem como são os quartos desse género: uma espécie de cama com baldaquino e o seu mosquiteiro, duas ou três cadeiras, a mesa onde estava a escrever, o chão sem tapete. Tinha uma janela que abria para uma varanda alta, e ele ficou junto dela a enfrentar um momento difícil, na mais completa solidão. A tarde caía; acendi uma vela com a maior economia possível de movimentos e com prudência como se fosse uma acção proibida.

<< Página Anterior

pág. 180 (Capítulo 16)

Página Seguinte >>

anúncio
Capa do livro Lord Jim
Páginas: 434
Página atual: 180

 
   
 
   
Os capítulos deste livro:
Nota do Autor 1
Capítulo I 4
Capitulo II 12
Capítulo III 19
Capítulo IV 30
Capítulo V 37
Capítulo VI 60
Capítulo VII 82
Capítulo VIII 95
Capítulo IX 107
Capítulo X 119
Capítulo XI 135
Capítulo XII 141
Capítulo XIII 151
Capítulo XIV 164
Capítulo XV 179
Capítulo XVI 184
Capítulo XVII 191
Capítulo XVIII 195
Capitulo XIX 205
Capítulo XX 212
Capítulo XXI 226
Capítulo XXII 235
Capítulo XXIII 242
Capítulo XXIV 251
Capítulo XXV 258
Capítulo XXVI 268
Capítulo XXVII 275
Capítulo XXVIII 283
Capítulo XXIX 292
Capítulo XXX 299
Capítulo XXXI 306
Capítulo XXXII 315
Capítulo XXXIII 322
Capítulo XXXIV 333
Capítulo XXXV 343
Capítulo XXXVI 350
Capítulo XXXVII 357
Capítulo XXXVIII 366
Capítulo XXXIX 376
Capítulo XL 385
Capítulo XLI 395
Capítulo XLII 402
Capítulo XLIII 410
Capítulo XLIV 418
Capítulo XLV 424
Links Relacionados
 
Artigos: Porque lemos literatura | O Ensaio na literatura | O primeiro texto da língua portuguesa 
© 2010 Ciberforma Informática. Todos os direitos reservados. Contacto | Política de privacidade | Mapa do Site