Procurar livros:
    Procurar
Procurar livro na nossa biblioteca
 
 
Procurar autor
   
Procura por autor
 
marcador
  • Sem marcador definido
Marcador
 
 
 
Navegar

Capítulo 16: Capítulo XV

Página 183
A própria lei o abandonava. Enterrá-lo teria sido um acto de bondade fácil, porque estaria absolutamente de acordo com a sabedoria da vida, que consiste em esconder da vista tudo o que lembre a nossa loucura, a nossa fraqueza a nossa condição de mortais; tudo o que prejudique a nossa eficiência - a lembrança das nossas derrotas, as insinuações dos nossos medos eternos, os corpos dos nossos mortos. Talvez tomasse isto tudo demasiado a sério e se assim fosse a proposta de Chester... Chegado a este ponto, peguei numa nova folha de papel e comecei a escrever resolutamente. Apenas eu me interpunha entre este rapaz e o oceano negro. Experimentei um sentimento de responsabilidade. Saltaria este jovem imóvel e atribulado para a escuridão e agarrar-se-ia à tábua de salvação? Compreendi a dificuldade que pode haver em emitir um som. Há um poder fatídico em certas palavras. E porque não, que diabo?, perguntava a mim próprio com insistência enquanto continuava a escrever. De repente, vi as duas figuras, de Chester e do sócio, a andar e a gesticular muito nítidas e inteiras na página branca, exactamente debaixo da minha caneta, como que reproduzidas por um instrumento óptico. Observei-os um momento. Não! Eram demasiado estranhos e fantasmagóricos para poderem fazer parte do destino fosse de quem fosse. E uma palavra tem um longo alcance, muito longo - espalha a destruição através do tempo como uma bala voa no espaço. Não disse nada; e ele, lá fora, com as costas voltadas para a luz, como que amarrado e amordaçado por todos os inimigos invisíveis do homem, não fazia nem um gesto nem um ruído.»

<< Página Anterior

pág. 183 (Capítulo 16)

Página Seguinte >>

anúncio
Capa do livro Lord Jim
Páginas: 434
Página atual: 183

 
   
 
   
Os capítulos deste livro:
Nota do Autor 1
Capítulo I 4
Capitulo II 12
Capítulo III 19
Capítulo IV 30
Capítulo V 37
Capítulo VI 60
Capítulo VII 82
Capítulo VIII 95
Capítulo IX 107
Capítulo X 119
Capítulo XI 135
Capítulo XII 141
Capítulo XIII 151
Capítulo XIV 164
Capítulo XV 179
Capítulo XVI 184
Capítulo XVII 191
Capítulo XVIII 195
Capitulo XIX 205
Capítulo XX 212
Capítulo XXI 226
Capítulo XXII 235
Capítulo XXIII 242
Capítulo XXIV 251
Capítulo XXV 258
Capítulo XXVI 268
Capítulo XXVII 275
Capítulo XXVIII 283
Capítulo XXIX 292
Capítulo XXX 299
Capítulo XXXI 306
Capítulo XXXII 315
Capítulo XXXIII 322
Capítulo XXXIV 333
Capítulo XXXV 343
Capítulo XXXVI 350
Capítulo XXXVII 357
Capítulo XXXVIII 366
Capítulo XXXIX 376
Capítulo XL 385
Capítulo XLI 395
Capítulo XLII 402
Capítulo XLIII 410
Capítulo XLIV 418
Capítulo XLV 424
Links Relacionados
 
Artigos: Porque lemos literatura | O Ensaio na literatura | O primeiro texto da língua portuguesa 
© 2010 Ciberforma Informática. Todos os direitos reservados. Contacto | Política de privacidade | Mapa do Site