Procurar livros:
    Procurar
Procurar livro na nossa biblioteca
 
 
Procurar autor
   
Procura por autor
 
marcador
  • Sem marcador definido
Marcador
 
 
 
Navegar

Capítulo 4: Capítulo III

Página 29
Depois levantaram os olhos para as estrelas.

Que acontecera? O golpear resfolegante das máquinas continuava a ouvir-se. Ter-se-ia atravessado qualquer obstáculo na trajectória do mundo? Não podiam compreender; e de repente o mar sereno, o céu sem nuvens, surgiram tremendos na insegurança da sua imobilidade, como que suspensos na beira de um sorvedouro de destruição. O corpo do maquinista deu um salto de ricochete, ficou um momento perfeitamente vertical, e voltou a cair num monte confuso. O monte disse: «Que é isto?», com o timbre surdo de uma mágoa profunda. Um ruído indistinto como de um trovão, de um trovão infinitamente remoto, que não chegava a ser um som, apenas um pouco mais audível do que uma vibração, passou lentamente, e o barco, em resposta, estremeceu, como se o trovão tivesse rugido nas profundezas das águas. Os olhos dos dois malaios, ao leme, brilharam voltados para os homens brancos, mas as mãos escuras continuaram fechadas sobre os raios da roda. O casco pontiagudo, a avançar no seu caminho, erguia-se algumas polegadas, palmo a palmo, a todo o comprimento, como se se tivesse tornado flexível, e voltava a baixar, rígido, para continuar a sua tarefa de fender a superfície polida do mar. Parou de estremecer, e o ligeiro ruído de trovão deixou imediatamente de se ouvir, como se o navio tivesse navegado através de uma tira estreita de água vibrátil e de ar sonoro.

<< Página Anterior

pág. 29 (Capítulo 4)

Página Seguinte >>

anúncio
Capa do livro Lord Jim
Páginas: 434
Página atual: 29

 
   
 
   
Os capítulos deste livro:
Nota do Autor 1
Capítulo I 4
Capitulo II 12
Capítulo III 19
Capítulo IV 30
Capítulo V 37
Capítulo VI 60
Capítulo VII 82
Capítulo VIII 95
Capítulo IX 107
Capítulo X 119
Capítulo XI 135
Capítulo XII 141
Capítulo XIII 151
Capítulo XIV 164
Capítulo XV 179
Capítulo XVI 184
Capítulo XVII 191
Capítulo XVIII 195
Capitulo XIX 205
Capítulo XX 212
Capítulo XXI 226
Capítulo XXII 235
Capítulo XXIII 242
Capítulo XXIV 251
Capítulo XXV 258
Capítulo XXVI 268
Capítulo XXVII 275
Capítulo XXVIII 283
Capítulo XXIX 292
Capítulo XXX 299
Capítulo XXXI 306
Capítulo XXXII 315
Capítulo XXXIII 322
Capítulo XXXIV 333
Capítulo XXXV 343
Capítulo XXXVI 350
Capítulo XXXVII 357
Capítulo XXXVIII 366
Capítulo XXXIX 376
Capítulo XL 385
Capítulo XLI 395
Capítulo XLII 402
Capítulo XLIII 410
Capítulo XLIV 418
Capítulo XLV 424
Links Relacionados
 
Artigos: Porque lemos literatura | O Ensaio na literatura | O primeiro texto da língua portuguesa 
© 2010 Ciberforma Informática. Todos os direitos reservados. Contacto | Política de privacidade | Mapa do Site