Procurar livros:
    Procurar
Procurar livro na nossa biblioteca
 
 
Procurar autor
   
Procura por autor
 
marcador
  • Sem marcador definido
Marcador
 
 
 
Navegar

Capítulo 38: Capítulo XXXVII

Página 358
A você... a você... eu nem sei o seu nome... dava-lhe eu uma nota de cinco libras, se a tivesse, pelas notícias... ou eu não me chame Brown... ' Arreganhou os dentes de uma maneira horrível. '... Sr. Brown.'

«As suas palavras eram entrecortadas de inspirações profundas; fixava em mim uns olhos amarelos, enterrados numa cara morena e gasta; o braço esquerdo tinha movimentos espasmódicos; uma barba emaranhada grisalha caía-lhe quase até à cintura, e um cobertor sujo e esburacado cobria-lhe as pernas. Descobrira-o em Banguecoque através desse intrometido do Schömberg, o dono do hotel, que me tinha indicado confidencialmente onde devia procurá-lo. Parece que uma espécie do vagabundo bêbado e mandrião, um branco que vivia no bairro indígena com uma siamesa, considerara um grande privilégio abrigar os últimos dias do famoso Sr. Brown. Enquanto conversávamos naquela choça miserável o moribundo lutava, por assim dizer, por cada minuto de vida, a siamesa, com umas pernas grossas e nuas e uma larga cara estúpida, permanecia sentada num canto escuro e mascava betel com um ar impassível. Levantava-se de vez em quando, a fim de enxotar uma galinha para fora da porta, e a palhoça tremia toda quando ela andava. Uma criança feia e amarela, nua e barriguda como um pequeno deus pagão, estava postada aos pés da cama, com um dedo metido na boca, perdida na contemplação calma e profunda do moribundo.

«Brown falava febrilmente, mas às vezes, no meio de uma palavra, parecia que uma mão invisível o agarrava pela garganta, e ele lançava-me um olhar mudo, com uma expressão de dúvida e de angústia. Parecia recear que eu acabasse por me cansar de estar à espera e me fosse embora sem lhe dar tempo de contar a história e de exprimir a sua alegria.

<< Página Anterior

pág. 358 (Capítulo 38)

Página Seguinte >>

anúncio
Capa do livro Lord Jim
Páginas: 434
Página atual: 358

 
   
 
   
Os capítulos deste livro:
Nota do Autor 1
Capítulo I 4
Capitulo II 12
Capítulo III 19
Capítulo IV 30
Capítulo V 37
Capítulo VI 60
Capítulo VII 82
Capítulo VIII 95
Capítulo IX 107
Capítulo X 119
Capítulo XI 135
Capítulo XII 141
Capítulo XIII 151
Capítulo XIV 164
Capítulo XV 179
Capítulo XVI 184
Capítulo XVII 191
Capítulo XVIII 195
Capitulo XIX 205
Capítulo XX 212
Capítulo XXI 226
Capítulo XXII 235
Capítulo XXIII 242
Capítulo XXIV 251
Capítulo XXV 258
Capítulo XXVI 268
Capítulo XXVII 275
Capítulo XXVIII 283
Capítulo XXIX 292
Capítulo XXX 299
Capítulo XXXI 306
Capítulo XXXII 315
Capítulo XXXIII 322
Capítulo XXXIV 333
Capítulo XXXV 343
Capítulo XXXVI 350
Capítulo XXXVII 357
Capítulo XXXVIII 366
Capítulo XXXIX 376
Capítulo XL 385
Capítulo XLI 395
Capítulo XLII 402
Capítulo XLIII 410
Capítulo XLIV 418
Capítulo XLV 424
Links Relacionados
 
Artigos: Porque lemos literatura | O Ensaio na literatura | O primeiro texto da língua portuguesa 
© 2010 Ciberforma Informática. Todos os direitos reservados. Contacto | Política de privacidade | Mapa do Site