Procurar livros:
    Procurar
Procurar livro na nossa biblioteca
 
 
Procurar autor
   
Procura por autor
 
marcador
  • Sem marcador definido
Marcador
 
 
 
Navegar

Capítulo 4: Capítulo III

Página 20

Uma corrente de ar, vinda do lado da proa e provocada pela deslocação do barco, atravessava incessantemente a longa escuridão entre as altas amuradas, varria as filas de corpos deitados de borco; alguns globos de iluminação estavam pendurados aqui e ali sob as vigas mestras, e nos vagos círculos de luz que deles caía, ligeiramente trémulos por causa da vibração ininterrupta do barco, viam-se um queixo espetado, duas pálpebras fechadas, uma mão escura com anéis de prata, um membro descarnado tapado com uma cobertura esfarrapada, uma cabeça atirada para trás, um pé descalço, uma garganta descoberta e esticada como que a oferecer-se ao punhal. Os abastados tinham construído abrigos para as suas famílias com caixotes e montes de velhas cordas poeirentas; os pobres repousavam lado a lado com tudo o que possuíam no mundo atado num farrapo, debaixo da cabeça; os velhos homens solitários dormiam com as pernas dobradas, sobre as esteiras em que se ajoelhavam para rezar, com as mãos sobre as orelhas e um cotovelo de cada lado da cara; um pai, com os ombros erguidos e os joelhos à altura da testa, dormitava abatido junto de um rapaz que dormia deitado nas suas costas com o cabelo desgrenhado e um braço estendido em atitude de comando; uma mulher coberta da cabeça aos pés com um pedaço de lençol branco, como um cadáver, tinha uma criança nua em cada braço; os haveres do chefe árabe, empilhados à ré, formavam um pesado montão, cujos contornos se apresentavam em linhas cortadas, com uma lanterna de bordo oscilando por cima e uma grande confusão de formas vagas por detrás: vislumbravam-se as panelas de cobre ventrudas, um suporte para os pés, uma cadeira de descanso, ferros de lanças, a bainha de uma velha espada apoiada muito direita contra um monte de almofadas, o bico de uma cafeteira de estanho.

<< Página Anterior

pág. 20 (Capítulo 4)

Página Seguinte >>

anúncio
Capa do livro Lord Jim
Páginas: 434
Página atual: 20

 
   
 
   
Os capítulos deste livro:
Nota do Autor 1
Capítulo I 4
Capitulo II 12
Capítulo III 19
Capítulo IV 30
Capítulo V 37
Capítulo VI 60
Capítulo VII 82
Capítulo VIII 95
Capítulo IX 107
Capítulo X 119
Capítulo XI 135
Capítulo XII 141
Capítulo XIII 151
Capítulo XIV 164
Capítulo XV 179
Capítulo XVI 184
Capítulo XVII 191
Capítulo XVIII 195
Capitulo XIX 205
Capítulo XX 212
Capítulo XXI 226
Capítulo XXII 235
Capítulo XXIII 242
Capítulo XXIV 251
Capítulo XXV 258
Capítulo XXVI 268
Capítulo XXVII 275
Capítulo XXVIII 283
Capítulo XXIX 292
Capítulo XXX 299
Capítulo XXXI 306
Capítulo XXXII 315
Capítulo XXXIII 322
Capítulo XXXIV 333
Capítulo XXXV 343
Capítulo XXXVI 350
Capítulo XXXVII 357
Capítulo XXXVIII 366
Capítulo XXXIX 376
Capítulo XL 385
Capítulo XLI 395
Capítulo XLII 402
Capítulo XLIII 410
Capítulo XLIV 418
Capítulo XLV 424
Links Relacionados
 
Artigos: Porque lemos literatura | O Ensaio na literatura | O primeiro texto da língua portuguesa 
© 2010 Ciberforma Informática. Todos os direitos reservados. Contacto | Política de privacidade | Mapa do Site