Procurar livros:
    Procurar
Procurar livro na nossa biblioteca
 
 
Procurar autor
   
Procura por autor
 
marcador
  • Sem marcador definido
Marcador
 
 
 
Navegar

Capítulo 29: Capítulo XXVIII

Página 284
Também ele, afirmava, tinha uma confiança ilimitada na sabedoria de Tuan Jim. Se pudesse obter uma promessa!... Bastaria uma só palavra!... Os seus silêncios entremeados de suspiros, o ruído surdo da sua voz, faziam lembrar os derradeiros esforços de uma trovoada que se extingue.

«Tentei pôr a conversa de lado, mas não era fácil, pois não havia dúvida de que Jim tinha o poder de realizar essa ambição; na sua nova esfera parecia não haver fosse o que fosse que não dependesse dele. Mas isso nada era, repito, em comparação com a ideia, que me ocorreu enquanto escutava Doramin com grandes mostras de atenção, de que ele parecia finalmente estar muito próximo de dominar o seu destino. Doramin estava preocupado com o futuro do seu país e eu fiquei surpreendido com a maneira como ele expôs os seus argumentos. A Terra está sempre onde Deus a pôs, mas os homens brancos - disse ele - vêm até nós por pouco tempo e depressa partem... depressa partem. Os que ficam não sabem quando devem esperar o seu regresso. Voltam para o seu país, para o seu povo, e este branco assim faria... como os outros... Não sei o que me levou nessa altura a comprometer-me com um vigoroso 'Não, não.' Só compreendi toda a extensão desta imprudência quando Doramin voltou para mim o rosto, cuja expressão, fixada em rugas fundas e rudes, permanecia inalterável como uma enorme máscara castanha, e disse com um ar meditativo que era uma boa notícia; e quis saber porquê.

«A sua esposa, velha bruxa com ar maternal, estava sentada a meu lado, com a cabeça coberta e os pés cruzados, e olhava através da grande abertura. Eu apenas lhe via uma madeixa de cabelos cinzentos, uma maçã do rosto saliente, um queixo agudo agitado pelo ligeiro movimento da mastigação. Sem desviar os olhos da vasta perspectiva de florestas que se estendiam até às montanhas, perguntou-me, numa voz apiedada, que é que podia ter levado o meu amigo a deixar o seu país tão novo, a vir para tão longe através de tantos perigos.

<< Página Anterior

pág. 284 (Capítulo 29)

Página Seguinte >>

anúncio
Capa do livro Lord Jim
Páginas: 434
Página atual: 284

 
   
 
   
Os capítulos deste livro:
Nota do Autor 1
Capítulo I 4
Capitulo II 12
Capítulo III 19
Capítulo IV 30
Capítulo V 37
Capítulo VI 60
Capítulo VII 82
Capítulo VIII 95
Capítulo IX 107
Capítulo X 119
Capítulo XI 135
Capítulo XII 141
Capítulo XIII 151
Capítulo XIV 164
Capítulo XV 179
Capítulo XVI 184
Capítulo XVII 191
Capítulo XVIII 195
Capitulo XIX 205
Capítulo XX 212
Capítulo XXI 226
Capítulo XXII 235
Capítulo XXIII 242
Capítulo XXIV 251
Capítulo XXV 258
Capítulo XXVI 268
Capítulo XXVII 275
Capítulo XXVIII 283
Capítulo XXIX 292
Capítulo XXX 299
Capítulo XXXI 306
Capítulo XXXII 315
Capítulo XXXIII 322
Capítulo XXXIV 333
Capítulo XXXV 343
Capítulo XXXVI 350
Capítulo XXXVII 357
Capítulo XXXVIII 366
Capítulo XXXIX 376
Capítulo XL 385
Capítulo XLI 395
Capítulo XLII 402
Capítulo XLIII 410
Capítulo XLIV 418
Capítulo XLV 424
Links Relacionados
 
Artigos: Porque lemos literatura | O Ensaio na literatura | O primeiro texto da língua portuguesa 
© 2010 Ciberforma Informática. Todos os direitos reservados. Contacto | Política de privacidade | Mapa do Site